Confira 25 alimentos bons para a saúde, comprovados por pesquisas

Postado por

Patricia Zwipp

A alimentação pode ser a porta de entrada para componentes que previnem doenças variadas, como as cardiovasculares, cânceres, diabetes. Por isso, cientistas do mundo todo não param de pesquisar os benefícios à saúde que cada ingrediente natural pode proporcionar.
Quer saber quais iguarias foram relacionadas a uma vida mais equilibrada? Então, clique nos números acima e confira 25 delas, listadas em estudos recentes.
Entre os produtos estão agrião, canela, beterraba, brócolis, canela, laticínios, café. Ou seja, acessíveis e saborosos. Se já gostava deles, agora tem um motivo a mais para saboreá-los.

Clique sobre as fotos e veja as definições de cada uma:

Amoras:
Os benefícios das amoras são tantos que se considera uma planta única, dados as suas propriedades no combate a divesas doenças.
Como são pobres em calorias, devem ser incluídas numa dieta de emagrecimento, pois em média, 100 gramas deste fruto corresponde a 61 calorias. É ainda benéfica no combate à osteoporose, pelo alta concentração de cálcio. É rica em antocianinas e funciona como excelente antioxidante, devendo ser usado para combater doenças cardiovasculares, no combate ao colesterol e o seu consumo regular evita também doenças cancerígenas.
O chá feito com as suas folhas ajuda em problemas pulmonares, aliviando bronquite e gripe.
As amoras, além de usadas para geleias e doces são ainda muito usadas como corante alimentar.

Amêndoas:
Uma pesquisa da Universidade de Medicina e Odontologia de Nova Jersey, dos Estados Unidos, indica que a amêndoa pode prevenir diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares em pessoas com pré-diabetes.

Agrião:
Comer agrião pode parar o crescimento dos tumores malignos de mama, de acordo com uma pesquisa da Universidade de Southampton, da Inglaterra. A equipe de cientistas verificou que o composto feniletil isotiocianato, que dá à folha o sabor picante, é capaz de bloquear a função da proteína HIF, responsável pelo crescimento de novos vasos sanguíneos que possibilitam o desenvolvimento do câncer.

arroz preto:
Apesar de o arroz branco ser o mais consumido pelos ocidentais, é o preto, usado principalmente na Ásia, que traz os maiores benefícios à saúde, de acordo com uma pesquisa americana. Pode combater doenças cardíacas e câncer. Cientistas da Universidade Estadual da Louisiana analisaram amostras de farelo de arroz preto cultivado no Sul dos Estados Unidos e encontraram níveis elevados de antocianina, pigmento antioxidante responsável por sua cor e que protegeria as artérias e impediria danos no DNA.

Beterraba:
Se você é daqueles que se cansam só de pensar em fazer atividade física, o resultado de uma pesquisa realizada pela Universidade de Exeter e Escola de Medicina Peninsula, na Inglaterra, concluiu que um detalhe simples pode deixar a prática menos fadigante: beber suco de beterraba. O líquido aumenta a resistência e ajuda a se exercitar por até 16% mais tempo.

Blueberry:
Problemas de memória costumam atrapalhar a vida dos idosos. E, de acordo com uma pesquisa divulgada na publicação Journal of Agricultural and Food Chemistry, da Sociedade Química Americana, o suco de uma planta largamente cultivada em países do Hemisfério Norte, mas pouco conhecida no Brasil, pode ajudar na situação: a blueberry, chamada por aqui de mirtilo.

Culinária mediterrânea:
A culinária mediterrânea é considerada uma das mais saudáveis e compõe seus pratos com grãos integrais, hortaliças, azeite, noz, peixes, frutos do mar. E, de acordo com uma pesquisa financiada pela Segunda Universidade de Nápoles, na Itália, reduz a probabilidade de que pacientes recém-diagnosticados com diabetes tipo 2 precisem de tratamento medicamentoso.

Chá preto:

Cientistas do Laboratório Tianjin Key, na China, constataram que o chá-preto pode ajudar a controlar o diabetes. Para chegar a essa conclusão, estudaram os níveis de polissacarídeo nas bebidas verde, preta e oolong (uma das variedades de chá da planta Camelia Sinensis, da qual também se extrai o verde e o preto) e se elas poderiam ser usadas para tratar a doença. Os resultados apontaram que os polissacarídeos da iguaria preta tinham mais propriedades para inibir a glicose, o que beneficia os diabéticos, além de apresentarem maior efeito sobre os radicais livres, que estão envolvidos no aparecimento de patologias como câncer e artrite reumatoide.

Vitamina D:
Uma dieta com fontes de vitamina D combinada à exposição solar (que auxilia o organismo na síntese da vitamina D) pode reduzir o risco de câncer de mama, segundo cientistas do Centro de Investigação em Epidemiologia e Saúde da População, da França. Testes sugerem que a vitamina D possa ter uma série de efeitos anticâncer, como retardar a propagação das células doentes. O levantamento mostrou que cerca de 45% da vitamina D referentes à alimentação das voluntárias vieram de peixes e frutos do mar, 16% de ovos, 11% de produtos lácteos, 10% de óleos e margarinas, e 6% de bolos.

Vinagre:
O colesterol bom (HDL) tem efeito protetor sobre a saúde cardiovascular. E, de acordo com uma pesquisa de Minnesota, nos Estados Unidos, uma ou duas colheres diárias de vinagre de maçã podem aumentar seus níveis.

Vegetais:

Não é segredo que as grávidas devem manter uma dieta equilibrada. E, de acordo com um estudo da Academia Sahlgrenska da Universidade de Gothenburg, na Suécia, a lista de benefícios desse hábito pode aumentar. Isso porque cientistas constataram que ingerir vegetais diariamente deixaria o filho menos propenso a desenvolver diabetes tipo 1.

Pimenta:
O tratamento de hipertensos pode ganhar uma aliada: a pimenta. Segundo uma pesquisa da Universidade Médica da Terceira Região Militar, em Chongqing, na China, o composto responsável por seu sabor picante, capsaicina, abaixa a pressão. De qualquer forma, ainda não se sabe a quantidade diária da iguaria para afastar a doença.

Romã:
Romã pode ajudar no combate à temida gordura abdominal. De acordo com uma pesquisa da Universidade de Edimburgo, na Escócia, o suco da iguaria tornaria seus apreciadores menos propensos a desenvolver células de gordura na região.

Suco de tomate:
UDe acordo com uma pesquisa da Universidade de Toronto, no Canadá, dois copos de suco de tomate fortalecem os ossos e podem prevenir a osteoporose. O possível responsável pelo benefício é o licopeno, que dá a cor vermelha ao alimento.

Melancia:
A melancia tem alto teor de água e ainda fornece minerais, vitaminas e fibras. E uma pesquisa da Universidade Estadual da Flórida, nos Estados Unidos, aponta um benefício a mais: pode diminuir a pressão arterial e prevenir que pessoas classificadas como pré-hipertensas se transformem em hipertensas.

Melão amargo:
O resultado de uma pesquisa americana constatou que o extrato de melão amargo pode diminuir o crescimento das células do câncer de mama. O alimento é uma planta medicinal, utilizada no tratamento de diabetes e feridas, por exemplo. Cresce em áreas tropicais na Ásia, na região Amazônica, no leste da África e nas Ilhas do Caribe. É cultivado também no sul de Kyushu, Japão, devido ao clima subtropical.

Nozes:
As nozes ganharam um sabor a mais após a descoberta de pesquisadores dos Estados Unidos. Segundo eles, adicionar uma quantia moderada do fruto seco a uma dieta balanceada pode ajudar idosos a melhorar o desempenho em tarefas que requerem habilidades motoras e comportamentais. A pesquisa foi realizada pelo Serviço de Pesquisa de Agricultura do governo americano com o Centro de Pesquisa em Nutrição Humana no Envelhecimento Jean Mayer USDA, da Universidade Tufts, em Boston.

Laticínios:
Gosta de saborear queijo, leite, iogurte, manteiga? Pois saiba que o hábito pode ser benéfico à sua saúde. De acordo com uma pesquisa americana, feita por cientistas da Escola de Saúde Pública de Harvard e colaboradores de outras instituições, um componente dos laticínios, o ácido graxo trans-palmitoleico, pode diminuir o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Leite:
Adora alho, mas se incomoda com o mau hálito que provoca? Então, saiba que um simples copo de leite pode ser a solução para apreciar a iguaria sem constrangimentos, de acordo com uma pesquisa da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos. Os cientistas constataram que 200 ml do líquido têm o poder de reduzir significativamente as concentrações de substâncias químicas do alimento. Diminui, por exemplo, em 50% a presença do sulfeto de metila alilo, que não é quebrado durante a digestão e, por isso, simplesmente liberado do corpo no hálito e no suor.

Maçã:
Uma pesquisa polonesa, divulgada na publicação European Journal of Cancer Prevention, afirma que comer maçã regularmente pode reduzir o risco de desenvolver câncer colorretal (cólon e reto). As propriedades de proteção devem estar ligadas ao alto teor de flavonoides, que evitam que moléculas ou radicais livres causem danos ao tecido e podem ainda inibir o aparecimento de câncer e a proliferação celular. O composto é cinco vezes mais prevalente na casca de maçã do que em sua polpa.

Curry:
Um componente do tempero indiano curry pode tornar a quimioterapia mais eficaz, segundo pesquisadores da Universidade de Leicester, na Inglaterra. A equipe tem utilizado a curcumina, um extrato da raiz do açafrão-da-índia, para orientar células resistentes ao tratamento.

Frutas cítricas:
Pesquisadores canadenses constataram que um flavonoide encontrado em frutas cítricas (como laranja e limão), chamado naringenina, oferece grandes promessas de prevenção da obesidade e da síndrome metabólica (transtorno complexo, caracterizado por um conjunto de fatores de risco cardiovasculares, relacionados com resistência à insulina e obesidade abdominal).

Gengibre:
Uma pesquisa da Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos, indica que gengibre pode reduzir dores musculares causadas por atividade física. Deixe a preguiça de lado e se exercite!

Canela:
Aos apreciadores de canela, uma boa notícia. A iguaria pode ajudar a prevenir diabetes e doenças cardíacas, de acordo com uma pesquisa americana do Centro de Ciências da Saúde Aplicada, em Fairlawn. Os participantes que provaram a especiaria registraram um aumento de 13% a 23% de antioxidantes ligados à diminuição dos níveis de açúcar no sangue.

Brócolis:
Uma pesquisa da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, descobriu que o componente do brócolis chamado sulforafano tem a capacidade de matar células-tronco do câncer de mama (que estimulam o crescimento do tumor) e prevenir que novos tumores surjam.

Café:
O café é apreciado por muitos, mas tem certa fama de vilão. Causaria ansiedade, palpitações, aumento da pressão. A boa notícia para quem aprecia seu sabor é que degustar quatro xícaras por dia pode proteger contra o câncer de boca e o de faringe, de acordo com um estudo americano liderado por Mia Hashibe, da Universidade de Utah.

Fonte:

2 comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *